<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://draft.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\07531919265\46blogName\75O+Patinho+Amarelo\46publishMode\75PUBLISH_MODE_BLOGSPOT\46navbarType\75BLUE\46layoutType\75CLASSIC\46searchRoot\75http://opatinhoamarelo.blogspot.com/search\46blogLocale\75pt_BR\46v\0752\46homepageUrl\75http://opatinhoamarelo.blogspot.com/\46vt\075226366987204082686', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

O Patinho Amarelo

Pernóstico, Sádico e Sarcástico

Um dos valores do coletivismo

Estava eu sentado em uma mesa do Shopping Boa Vista (Confesso!), já meditando sobre o tema que mais me interessa neste momento, anarquia e coletividade. Ao me dirigir às escadas rolantes encontrei um cartaz que dizia "Escadas com manutenções periódicas". Perguntei-me, talvez sem muito sentido com o que o cartaz dizia, se seria possivel um Shopping ser gerido por um coletivo de todas as lojas. Danei a pensar e cheguei a conclusão que não seria saudavel, ao capitalismo.
Primeiramente poderiamos ter uma loja que não aceitasse a inclusão de outra loja por esta ser uma concorrente ferrenha. Sendo assim, poderiamos ter uma concentração de oferta por uma só loja e isso causaria um dominio total dos preços pela própria vontade do empresário. Por outro lado, sendo os lucros gerais do Shopping compartilhados, as empresas aceitariam as concorrentes, contanto que seguissem um cartel, oferecendo os mesmos "prejuizos" ao bolso do consumidor. Em ambos os casos, os preços aumentam, o número de promoções e facilidades diminuem. O que já era elitista, se torna mais elitista. As pessoas sem tantas condições (Classe média média e baixa), buscariam um outro local para compras. Provavelmente o centro das cidades e suas diversas lojas. As pessoas voltariam a comprar nas ruas e esta voltaria a ser um espaço importante de integração, contato e socialização. As pessoas passariam mais tempo na rua, tendo contato com mais tipo de pessoas e maior número de culturas e costumes. Com as pessoas menos trancadas em prédios climatizados, os artistas de rua teriam mais visualização, e quem sabe, mais recursos. Os movimentos sociais e protestos teriam mais plateia. Provavelmente conseguiriam tocar mais pessoas e mobiliza-las para a causa. Tendo mais visibilidade, os movimentos sociais teriam mais força para lutar por melhorias na sociedade e na justiça social. E provavelmente, teriam mais força politica e Lobbies para promover tais mudanças.
Sendo assim, o Brasil seria muito melhor se os shoppings fossem um coletivo. Ou se simplesmente, não existissem.


Obs: Desprezei todas as teorias do consumo, da demanda, do status e prestigio que envolvem a formação da classe média dos anos 50 para cá. Mas se tudo isto não existisse, as coisas seriam assim. Maravilhoso não é?

Por Galileu Fikaporay.

| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »
| Próximo »

5:04 PM

Onde voce sentaria pra "meditar"?    



4:07 AM

Este comentário foi removido por um administrador do blog.    



4:10 AM

Este comentário foi removido por um administrador do blog.    



7:47 PM

Nos Bancos das praças!    



» Postar um comentário